Dicas gerais e roteiros

Trazendo seu animal de estimação para a Austrália

Publicado por Marina Abreu Silva

Esse é o relato do Paulo e da Carolina que trouxeram a gata deles para Sydney. 

O processo todo demorou um ano e eles detalharam bem o processo. Leiam no post.

Nossa gata chegou em casa ontem após 2 meses na Argentina e mais 10 dias na quarentena em Melbourne.

Resolvi escrever um pouco da nossa experiência para ajudar quem pensa em trazer seus pets para cá.

Quem já pesquisou um pouco a respeito, sabe que o valor é bem alto. Na minha opinião, só é viável trazer algum animal para cá se a intenção é vir para ficar permanentemente. Além do custo de trazer ser alto, provavelmente para levar de volta tb não vai ser fácil, lembrando que mesmo se o pet for pequeno não é possível viajar com ele na cabine em voos internacionais de/para Australia (nossa gata tem 5kg e no Brasil na maioria dos voos nacionais podiamos levá-la na cabine).

Fizemos cotações com 3 empresas: Pet Relocation (via US), Las Lunas (via Argentina) e Transcontrol (via Argentina).
O valor da Las Lunas e da Transcontrol não ficou muito diferente, mas preferimos fechar com a Transcontrol pelo fato de ser uma empresa com escritório no Brasil.

Basicamente os valores foram:

1) Serviço Transcontrol (exame de sangue inicial no Brasil e na Argentina, preparação da documentação, hospedagem na Argentina): 5800USD
2) Caixa de transporte IATA approved: 450BRL
3) Voo ida e volta para Argentina com taxa de transporte para o pet (o Umberto da Transcontrol que a levou para Buenos Aires): 1200BRL
4) Aplicação do import permit: 480AUD
5) Quarentena e taxas na Australia: 1800AUD
6) Transporte de Melbourne para Sydney (só tem centro de quarentana em MEL atualmente): 286AUD

BRL (reais)
USD (dolares americanos)
AUD (dolares australianos)

Vou tentar colocar as datas importantes no nosso processo:

10/08/15 – Gata vacinada com anti-raiva
18/12/15 – Coleta do sangue para exame de raiva em SP (amostra foi enviada para um laboratorio em Londres)
21/01/16 – Confirmação do resultado dos exames
04/02/16 – Aplicação do import permit
20/03/16 – Assessement inicial do import permit completo
14/05/16 – Nala viajou para Argentina
18/05/16 – 6 meses completos da data da coleta da primeira amostra. Nova amostra coletada
25/07/16 – Import Permit aprovado (com algumas semanas de atraso por problemas com o laboratório que fez os testes da segunda amostra)
27/07/16 – Quarentena bookada
03/08/16 – Nala viajou para Melbourne
04/08/16 – Nala entrou na quarentena
14/08/16 – Nala liberada da quarentena e transportada para Sydney

Como vcs podem ver pelas datas, ficamos 3 meses longe dela. Era para ter sido um pouco menos, mas o exame da segunda amostra de sangue teve que ser feito duas vezes – não entendi bem o que aconteceu, mas a Transcontrol resolveu tudo, apesar da frustação com o atraso.

Durante o período que ela ficou na Argentina, achamos que a frequencia das fotos e videos deixou a desejar – acabamos recebendo noticias a cada 2 ou 3 semanas. Durante o periodo de quarentena em Melbourne, não tivemos notícias nenhuma (o que é normal).

Um detalhe extra, que pode pesar na decisão de trazer ou não o pet:
Quando chegamos aqui, começamos a buscar por casas em Sydney e muitos landlords não aceitam pets. Nos anúncios tem muita propriedade que diz explicitamente “No pets allowed” e outras que não dizem nada (quase nenhuma diz “Pets welcome”).
Das que não proibiam explicitamente, a gente consultou com a imobiliaria e muitas retornaram que não aceitavam e outras retornaram que “talvez”.
O fato de ter a gata diminuiu consideralmente a quantidade de imoveis que poderíamos alugar, o que no final acabou significando que tivemos que pagar mais para achar um imóvel que atendesse todos nossos requisitos E aceitasse pets.
Segundo alguns agents de real state aqui que conversamos, gatos geralmente são mais facilmente aceitos que cachorros. Cachorro de grande porte é bem complicado, mesmo pq pra perto da cidade, onde a maioria do povo quer morar, muitas casas não têm backyard. Então, é bom pensar e planejar muito bem tb levando em conta esse fator.

Sei que tem muita discussão de que é um sofrimento enorme para o bicho passar por esse processo, mas no fim acho que quem sofreu mais foi a gente. Pelas fotos que recebemos enquanto ela estava na Argentina, ela parecia bem. Qto ao voo, não temos como saber o que ela “achou” de ficar 24hrs numa caixa de transporte, provavelmente não gostou, assim como a gente tb não gosta de ficar na poltrona apertada, mas o importante é que ela chegou bem em casa.

Espero que esse relato ajude quem tem dúvidas em relação ao processo e fiquem a vontade para perguntar alguma coisa que podemos ajudar (de preferência poste aqui nos comentários assim mais gente se beneficia das perguntas).

Abraços

Paulo

Sobre o autor

Marina Abreu Silva

Marina (Nina) mora em Sydney desde 2010. É barista, baterista, developer, blogger e agente educacional. Trabalha com intercâmbios e criou o site Tagarela pra ajudar outros brasileiros que tem a intenção de visitar, morar ou migrar para Australia.

4 Comentários

  • Olá Paulo, tudo bem?

    Estou com o processo de trazer meus gatos, via Argentina, em andamento. Gostaria muito de tirar algumas dúvidas com você!

    Tem algum e-mail em que podemos conversar?

    Muito obrigada!

    Julia

  • Olá, ótimas dicas, estou em Sydney estou super agoniada por ter deixado o meu filho lá ele é porte médio para grande. Vou tentar trazer. Agradeço as dicas, Grande Bjs

  • Noooossa q bom ver alguem falando disso…tao dificil essa informacao sobre pets… mas deixa eu te perguntar… temos um cao que adorariamos levar… e temos parentes ba argentina… esse período que o pet fica la…poderia ser na casa desses parentes ou PRECISA ser com uma dessas agencias…
    Ahhh ótimo q deu nome de agencias…nao sabia nenhuma…
    Obrigada obrigaa obrigadaaa

  • Paulo, post maravilhoso. Ajuda muito nessa decisão difícil. Sempre bati o pé que levaria meus 3 gatos e uma cachorra porte médio pra onde eu fosse. Mas, primeiro:contrato de trabalho. Não dá pra saber a permanência. Depois, bem estar, saúde de um deles está um tanto delicada, e muitos outros fatores físicos, emocionais, alem do dinheiro. Preciso abrir minha mente e seu post me ajudou. É a única coisa que me tira o sono, e nem vou pra Austrália… Obrigada!

Deixe seu comentário

14 − seis =