Depoimentos

Nina conta sua experiência – Sydney

Bay
Publicado por Marina Abreu Silva

Fairlight

Bom galera, vou compartilhar minha experiência com vocês e quem sabe podem tirar proveito de alguma informação =)

Sou formada em Administração e estava cursando a faculdade de Software Engineer  quando vim pra Australia. Cheguei aqui no dia 31 de dezembro de 2010.

Trabalhava na empresa TOTVS por quase 5 anos como Analista de Suporte Técnico e sempre quis viajar e conhecer outros países mas sabia que como turista não seria possível por causa de grana então resolvi escolher um lugar pra me mudar de vez e tentar a sorte. Pesquisei sobre países com bastante vagas pra TI e encontrei  Australia e Irlanda. Apesar de a Irlanda ser meu pais preferido (amo a musica, cultura e o verde daquele país! ), eles estavam passando por uma crise e eu também não daria conta do inverno, tinha uma amiga/irma de infância, Mari, morando em Sydney então resolvi vir pra ca mesmo.

Antes de vir eu li bastante e pesquisei sobre vistos. Minha intenção era aplicar pro Skilled Visa quando estivesse aqui.

Decidir vir foi fácil, o difícil foi arrumar tudo pro visto! Eu não tinha suporte financeiro e isso foi o mais difícil, eu estava quase desistindo quando consegui dois amigos/anjos que me ajudaram.

Paguei algumas coisas do visto mas dividi a passagem em 10 vezes no cartão e financiei o valor da escola em 12 vezes rs. Vim pra ca com $500 dolares e muita conta pra pagar. Mas uns dias antes de eu vir a Mari disse que precisavam de alguém no restaurante que ela trabalhava e gracas a ela consegui esse emprego no primeiro dia de Australia! Alem de dividir o quarto com ela, entao acomodação também estava sorted!

Pra quem acha que assim e moleza, lembrem que conseguir um trial e fácil, mas manter o emprego depende do seu esforço. 😉

Meu emprego era em Manly e quando o inverno chegou eu estava fazendo praticamente so um dia no restaurante então comecei a procurar emprego, entregava currículo, ia pessoalmente nos restaurantes e cafes, mesmo se não estavam precisando eu entrava e pedia emprego. Mandava pelo gumtree e tudo que era site que eu sabia na época. Em algumas semanas arrumei outro emprego.

Depois de 6 meses estudando ingles eu comecei a estudar TI. Como minha intenção era ficar aqui e eu ja tinha pesquisado do Brasil sobre o skilled visa, entrei em contato com um agente de imigração e fiz uma entrevista. Na entrevista fiquei sabendo que eu não poderia aplicar porque eu não tinha terminado a faculdade de software engineer e sem o diploma eu precisaria de 5 anos de experiência na area.. eu tinha 4 anos e 6 meses. Isso foi um balde de agua fria.

Estava mais confiante no meu ingles e comecei a procurar emprego na area de TI. Consegui algumas entrevistas mas sempre a mesma coisa : “Visto de estudante não da. Precisamos de voce full time.”

Trabalhei dois anos em restaurante, apesar de gostar muito de fazer cafe eu ja não aguentava não trabalhar na minha area, e principalmente TI onde as coisas evoluem tao rápido e meus quase 5 anos de experiência ja não iam valer muita coisa. Sem contar a escola que eu estava frequentando que era uma piada, professores que mal falavam inglês e não ensinavam nada, uma perda de tempo e dinheiro.

Eu ja namorava a mais de um ano com uma australiana entao resolvemos aplicar pro Partner Visa. Como não estavamos morando juntas a 12 meses, fizemos um relationship register no cartório, juntamos toda documentação necessária (da um trabalho! rs) e aplicamos. Recebi  bridging Visa uns dias depois o que me deu os mesmos direitos do Partner Visa ate a decisão ser feita pela imigração. Com esse visto eu não precisava mais ir a escola e não tinha limites com relação a trabalho. Mandei muito currículo pra area de TI e na minha primeira entrevista fui contratada ! Hoje tenho a residência temporária e daqui um ano pego a residência permanente.

Estou na mesma empresa ate hoje ( 1 ano e meio ) e estou a 3 semanas de ter minhas primeiras ferias pagas na Australia! Vou pro Brasil ver minha família e amigos que morro de saudades e de quebra levar meus sogros e cunhados pra visitar o Brasil e a melhor cidade do mundo (Caxambu claro rs) pela primeira vez!

Hoje sou “casada” e muito feliz, trabalho na minha area, toco bateria na banda Lucky 13 (eu, Mari, Glauber e Ricardo) onde tocamos so originais, e depois de muito esforço posso dizer que tudo valeu a pena, sempre vale.

To longe de ficar rica, trabalho em uma pequena empresa onde fazemos a database pra quase todos Aborigines Art Centres na Australia onde eu aprendi muito não so sobre TI mas sobre a cultura. Tive a oportunidade de ir pra Darwin e Alice Springs onde dei treinamento pra artistas aborigines e me interesso muito pela historia da Australia. Vou escrever mais sobre isso em outro post.

Resolvi criar o Tagarela para que brasileiros que assim como eu vieram ou querem vir pra Australia com um objetivo, possam se ajudar e não desistam dos seus sonhos. Dedico minhas noites e final de semana para o website por acreditar que possa fazer a diferença pra alguém precisando de informação, de emprego ou qualquer coisa. Espero que o site esteja cumprindo seu objetivo! =)

So uma dica: Se voce tem a intenção de vir pra ficar, trace seus objetivos e planeje seus passos pensando no futuro. Venha com um plano pra não chegar aqui e ter que ficar no visto de estudante pra “sempre”  e acabar tendo que voltar.

 

 

 

 

 

Sobre o autor

Marina Abreu Silva

Marina (Nina) mora em Sydney desde 2010. É barista, baterista, developer, blogger e agente educacional. Trabalha com intercâmbios e criou o site Tagarela pra ajudar outros brasileiros que tem a intenção de visitar, morar ou migrar para Australia.

12 Comentários

  • Oi Marina,

    Estou indo para Australia com meu marido ele tem visa 457, em quanto tempo poderíamos aplicar para residencia temporária ou permanente?

    Grata,
    Eve

    • Oi Even, o 457 já é um visto temporário. Na regra antiga, depois de 2 anos a empresa pode te indicar pra aplicar para residência permanente.
      As regras mudaram essa semana mas não é pra afetar quem já tem o visto.
      De qualquer forma, esse é um assunto para um agente de imigração. Pode dar uma olhada com quem aplicou o 457 de vocês.

      Abraço

  • Oi Marina, excelente matéria!
    Eu sou especialista no ERP Protheus há 10 anos e estou querendo morar em Brisbane.
    Sou analista de negócios e também atuo na área de gestão de projetos.
    Estou pensando em tirar também uma certificação no SAP para potencializar o currículo.
    No primeiro ano,, penso em estudar o idioma e também fazer algum curso voltado para a área de TI.
    Com sua experiência, você acredita que conseguirei alguma oportunidade?

    Obrigada.

  • Ola Marina,
    gostaria de saber se tem como aprender inglês em seis meses em Brisbane, mesmo não sabendo nada em inglês, apenas pedir um cachorro quente. haha

    Obrigado!

    • Oi Igor.
      Acredito que 6 meses é muito pouco pra ficar com um inglês intermediário para avançado mas com certeza você vai ficar bom no básico e vai aprender a se virar sozinho.
      Tente morar com estrangeiros e evite ao máximo falar em português. =)

  • Olá Marina,
    Tudo bem?

    Então casais gays também conseguem aplicar o “Partner Visa” ?
    No meu caso, minha namorada irá com o “Working Holiday Visa”. Sabe me dizer se consigo ir como partner? Ou você teria o contato de algum agente de imigração que possa me esclarecer?

    Obrigada!

    PS: Parabéns pelo site. Curti demais.

    • Oi Fernanda, sim! Casais do mesmo sexo podem aplicar para o Partner Visa.
      Partner visa é quando o partner tem residência australiana ou é cidadão/cidadã.
      No seu caso é entrar como dependente no visto de outra pessoa.
      Mas o visto working holidays não pode ter dependentes, isso está escrito no próprio site do governo onde explica esse visto.
      Visto de estudante ou outros vistos podem dar direito a dependente e pode ser do mesmo sexo.

  • Olá Mari, tudo bem??
    Nossa, apaixonada por seus posts e sua história!
    Minha cunhada mora na Austrália desde 2005 e no ano que vem eu e meu marido queremos ir também 🙂 Ele é formado em Sistemas da Informação (se formou em 2010) e trabalha como desenvolvedor. Nossa estratégia é: ele ir primeiro, ficar na casa da minha cunhada e quando arrumar um emprego eu vou. Ele quer continuar na área de tecnologia.
    Você acha mais fácil ele ir com visto de estudante ou tentar um emprego através do 457?
    Obrigada por seu help, paz e luz para você!

    • Oi Pricilla, obrigada!! =)

      Ele já olhou sobre o visto 189? Que já é residência permanente direto sem precisar de sponsor. Claro que tem que ver se ele tem todos os requisitos, mas essa é a melhor opção. Mas precisa de um bom nível de inglês.. se não for o caso ele pode vir como etudante pra melhorar o inglês e depois tentar aplicar daqui mesmo pro 189 ou procurar um sponsor no 457.Eu acho mais difícil conseguir o 457 estando no Brasil (não é impossível claro).

      Boa sorte pra vocês!! Beijão

  • Oi Marina, que daora o seu post… Estou de malas prontas pra Austrália, sou analista Protheus há cinco anos, não sou formado e conheço bem SQL server, WordPress e Joomla, além de photoshop, corel e protheus rsss… De uma olhadinha no meu site se der…. Será q eu consigo trabalho em ti? Minha esposa vai comigo tbm…. Acho q teremos q aplicar visa de estudante neh? Pelo menos a princípio…

    • Oi Victor,
      que bacana! =)
      Curti seu site! Então, com sua experiência não é difícil conseguir trabalho na área. O problema é o visto de estudante. Já leu sobre o visto 189? Se seu inglês não for avançado, compensa sim vir como estudante pra fazer um curso de inglês e se você tiver os requisitos, daqui da Austrália aplica pro 189. Daí as coisas ficam mais fáceis.
      Se precisar de agência pro visto de estudante temos parceria com uma excelente.

Deixe seu comentário

treze + dezoito =